Corte na Ciência traz riscos à pesquisa agrícola, diz Abramilho

Agricultura brasileira se transformou em uma das mais avançadas e competitivas do mundo graças, sobretudo aos investimentos feitos na Ciência.

Nesta segunda-feira (11.12) a Abramilho fez um alerta e manifestou a sua critica em relação a aprovação de projeto pelo Congresso Nacional, a pedido do Executivo, que prevê o corte de R$ 600 milhões nos recursos previstos para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

De acordo com o presidente institucional da entidade, Cesario Ramalho, a agricultura brasileira se transformou em uma das mais avançadas e competitivas do mundo graças, sobretudo aos investimentos feitos na Ciência.

“Foi a combinação de Ciência, recursos naturais, crédito e talento e trabalho do produtor rural, que viabilizou o pacote de inovações tecnológicas, que culminou no desenvolvimento do modelo de agricultura tropical sustentável de maior sucesso no planeta”, ressalta Ramalho, acrescentando que “somente novos achados científicos manterão o protagonismo da agricultura nacional”.

Segundo Ramalho, o brasileiro indicado ao Nobel da Paz 2021, Alysson Paolinelli, maior representante da agricultura nacional hoje, construiu sua jornada exatamente ancorado na Ciência aplicada à agricultura e disse recentemente: “somente a Ciência será capaz de mudar a lógica atual de que uma árvore em pé vale menos do que uma derrubada”.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *