DIA DO AGRÔNOMO: União, profissão e fé, esses são os significados do dia 12 de outubro para o casal de agrônomos Márcio e Rita Goussain

 

“Nos conhecemos na faculdade, estudamos juntos, viemos para o Mato Grosso e constituímos nossa família. De fato a Agronomia nos uniu”, disse com olhar de alegria a Profª Drª em Agronomia Rita de Cássia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para alguns pode parecer um conto de fadas, para outros um mero caso do destino, mas para Rita de Cássia Santos Goussain e Márcio Marcos Goussain, mais conhecido como “Manga”, o ano de 1994 na Universidade Federal de Lavras em Minas Gerais, era apenas o início de uma história de amor e profissional.

Os dois se formaram na mesma turma, fizeram mestrado e doutorado, saíram de Minas para a cidade de Rondonópolis, e juntos iniciaram uma trajetória de sucesso e muito trabalho. Casados há 17 anos e juntos há 26 anos, tiveram três filhos, e como conciliar tudo isso?

Rita conta que nunca foi muito fácil, mas tudo o que eles vivem era o que eles sempre sonharam, tanto profissionalmente quanto na vida familiar, “eu sempre quis ter filhos e o Manga também, primeiro nos estruturamos em nossa profissão, para que pudéssemos dar tranquilidade a nossos filhos”, conta Ritinha, como é carinhosamente chamada por todos que a conhece.

A decisão de se tornar agrônomo veio da infância contou Márcio. “Desde criança sempre gostei de mexer com a terra e plantar. Sobre a minha companheira de profissão, minha esposa (rs), ela teve sorte de me conhecer”, brincou o agrônomo.

Márcio iniciou a carreira profissional em Multinacionais, Rita começou em Rondonópolis logo que chegaram como professora universitária. Posteriormente mudaram para a cidade de Campo Verde, onde Rita ingressou no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT).

“Tive nossos três filhos em Campo Verde, passaram-se alguns anos, com a ausência do Manga em casa, porque a profissão exige muitas viagens, surgiu a ideia do projeto de consultoria agronômica, e poucos anos depois, nasceu a área experimental Assist Consultoria, onde contamos com parceiros”, explicou Rita.

De acordo com o engenheiro agrônomo a profissão está cada vez mais engajada. “MT é um celeiro de oportunidade para a agronomia, não vejo restrição de idade, vai muito do profissional, nós trabalhamos com estagiários que estavam fora do mercado de trabalho, ficaram conosco por um tempo se adequaram ao mercado e conseguiram retomar as atividades. Não existe restrições quanto à idade, é preciso ter vontade, foco, objetivo e meta, como tudo o que queremos conquistar na vida”, alertou Manga.

A engenheira diz que conciliar tudo não é fácil. “Dar atenção as crianças e ao mesmo tempo nos dedicar a profissão é cansativo, porém, quando chega a noite que podemos olhar tudo o que fizemos durante o dia, é muito prazeroso, nos dá animo para o dia seguinte”, afirmou.

Para o casal o dia 12 de Outubro tem “N” motivos para ser comemorado. “Ah! Para nós é um dia completo, comemoramos nossa profissão que amamos junto com nossos três filhos, motivadores de tudo o que fazemos, e claro, também é o ‘Dia de Nossa Senhora’, somos devotos e temos muitas graças recebidas por intermédio Dela, todos os anos vamos até o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em forma de gratidão”, compartilhou o casal.

Da redação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *