SENAR MINAS lança curso de Criação e Manejo de Caprinos de Corte

Se, de um lado, o mercado consumidor tem exigido cada vez mais qualidade, na outra ponta da cadeia, os produtores rurais estão em busca de ampliar seus conhecimentos e alternativas de negócios a todo momento. Exemplo desse empenho está nos integrantes da Associação dos Colonos do Projeto de Assentamento Japoré, no município de Manga. Nove criadores da entidade participaram do curso Criação e Manejo de Caprinos de Corte, promovido pelo Sistema FAEMG/SENAR/INAES.

A criação de caprinos (especialmente cabritos) tem sido uma alternativa de renda para os produtores da região, que convivem com extensos períodos de seca. “O Norte de Minas apresenta condições adequadas para a atividade, que é uma opção para propriedades de médio e pequeno porte. Os criadores estão buscando, cada vez mais, desenvolver a atividade com profissionalismo e foco no negócio. Para isso, estão buscando raças adequadas, organizando a cadeia e fazendo cursos para melhorar os manejos sanitário, reprodutivo e nutricional e ampliar suas atividades”, destacou o zootecnista e instrutor, Luciano Piovesan Leme.

Segundo ele, a seca é um fator a mais para se buscar alternativas de produção de alimentos para a nutrição dos caprinos e ovinos. “O pecuarista precisa ser um bom agricultor e produzir volumosos em quantidade e qualidade. Também é necessário adotar práticas de armazenamento de alimentos (silagens, fenos, pré-secados) produzidos na época das chuvas para enfrentar o período seco. A introdução de culturas como a palma forrageira e a irrigação por gotejamento e micro-aspersão para produção de capineiras, canaviais e outras culturas são opções que possibilitam a produção de volumoso”, explicou.

De olho no mercado

O treinamento foi uma solicitação dos próprios criadores, que viram uma demanda de mercado pouco explorada no Norte de Minas. Para o mobilizador do Sindicato dos Produtores Rurais de Manga, Ednaldo Neves Saraiva, o treinamento vai contribuir para os criadores atingirem, de forma mais eficaz, o mercado consumidor, que busca cabritos padronizados, regularidade de oferta e qualidade.

“A procura pelo curso foi grande e já temos demanda para outras turmas. Essa é uma fonte de renda economicamente viável, principalmente porque estamos em uma região de semiárido”.

Em 2020, o SENAR lançou cartilhas sobre a caprinocultura de corte e de leite. O material contém informações sobre o mercado, sistemas de produção, tipos de instalações, cuidados no controle sanitário do rebanho e nutrição, entre outros temas. As cartilhas estão disponíveis on-line na Estante Virtual – Coleção Senar.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *