Safrinha piora “consideravelmente”: Retrato “lastimável”

As condições da segunda safra de milho pioraram consideravelmente, de acordo com relatório divulgado pelo Departamento de Economia Rural do estado do Paraná (Deral-PR) nesta terça-feira, 6 de Julho. Segundo a entidade, as lavouras avaliadas como ruins saíram de 33% na semana passada para 42%. Já a safra em boa condição caiu de 26% para 12% e a em situação média subiu de 41% para 46%.

“Essa forte queda na condição da safra pode ser explicada pelas geadas na última semana. A entrada de uma forte massa de ar frio derrubou as temperaturas no Sul do país. No oeste do Paraná, importante área produtora de grãos, os termômetros chegaram a marcar 1.7°C negativos”, apontam os analistas da Consultoria AgResource Brasil.

Enquanto isso, apontam os especialistas, a colheita do cereal segue em ritmo lento. “O Deral informou que os trabalhos avançaram de 2% para 3% na semana. Atualmente, 61% das lavouras estão em fase de frutificação, 6% em floração e 33% em maturação”, completam.

“RETRATO É LASTIMÁVEL”

De acordo com a Consultoria TF Agroeconômica, as geadas da semana passada e do início desta semana apresentaram condições ainda piores para as lavouras paranaenses e o “retrato das lavouras é lastimável”. “Nesse momento, apenas as máquinas no campo irão revelar o que será a safra paranaense. No estado, lotes começam a surgir perto de R$ 95,00, em localidades como Cascavel e Pato Branco, ou ainda ao redor de R$ 98,00 nos Campos Gerais. Nas indicações de compra, indústrias parecem recusar as altas, e apontam para no máximo R$ 85,00, ou ‘rasgam’ um pouco no preço diante das ofertas firmes. Sem negócios reportados”, concluem os analistas.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *