Curso atualiza técnicos para controle e prevenção de verminose em caprinos e ovinos

Técnicos de extensão rural dos estados da Paraíba, Pernambuco e Bahia participarão, entre 29 de junho e 3 de agosto do curso Controle de Parasitos Gastrintestinais em Caprinos e Ovinos, promovido pela Embrapa e instituições parceiras. A capacitação tem como objetivo atualizar os participantes sobre métodos de controle de verminose nos rebanhos e preparar planos de prevenção e controle em seus territórios de atuação.

Participarão da capacitação técnicos da Empaer-PB, Senar-PB, IPA-PE e CEDAPP-PE que atuam nos municípios da bacia leiteira da divisa entre os estados da Paraíba e Pernambuco, pelo programa InovaSocial (Embrapa/BNDES), além de profissionais de assistência técnica que atuam junto à cooperativa Frigbahia, em Pintadas (BA), na região da Bacia do Jacuípe, pelo programa AgroNordeste – parceria da Embrapa com o Projeto Dom Helder Câmara (PDHC), desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Segundo o médico veterinário Leandro Oliveira, analista da Embrapa Caprinos e Ovinos, a proposta de capacitação surgiu a partir de demanda levantada pelos próprios técnicos, especialmente nas regiões do Cariri Paraibano e Sertão de Pernambuco, onde a Embrapa, em parceria com Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e Instituto Federal da Paraíba (IFPB), fez um trabalho de levantamento parasitológico no primeiro semestre deste ano, que indicou a necessidade de compartilhar conhecimento mais atualizado sobre métodos de controle de parasitoses.

“Em fevereiro, realizamos um levantamento em 48 propriedades rurais, onde fizemos coleta de fezes e exames de OPG [exame que verifica a contagem de ovos de parasitos por grama de fezes, para avaliar o grau de infecção] nos animais. Com os resultados, apresentamos orientações individuais e também uma live com produtores rurais e técnicos da região, onde eles apresentaram a necessidade de uma capacitação para se atualizarem”, explica Leandro.

Nos três módulos de curso, os participantes terão informações sobre as ferramentas e técnicas de manejo para controle integrado de verminose e sobre experiências da implantação deste tipo de controle em propriedades rurais, além de orientações sobre os testes de eficácia e resistência de medicamentos. O controle integrado é uma alternativa recomendada pela Embrapa, abrangendo diferentes estratégias que são mais eficazes quando usadas em combinação.

O manejo para o controle integrado envolve medidas para redução da contaminação nas pastagens e nas instalações; uso racional de medicamentos contra a verminose, para evitar o surgimento de resistência dos parasitos aos vermífugos; seleção de animais mais resistentes à verminose; alimentação correta, com suporte nutricional para responder melhor às infecções por parasitos. Esta estratégia de controle tende a reduzir mortalidade e perdas produtivas causadas pela verminose nos animais, além de também diminuir custos com medicamentos.

No curso, também serão apresentados resultados de pesquisas da Embrapa com uso da estratégia Econemat, de controle dos parasitos em sua chamada fase livre (quando as larvas estão no solo e nas pastagens e ainda não foram consumidas pelos animais). Esta estratégia aproveita resíduos agroindustriais para uso como adubos orgânicos que também têm efeito de eliminar os parasitos no ambiente.

O curso terá como instrutores os pesquisadores Luiz Vieira e Hévila Salles, da Embrapa Caprinos e Ovinos; o analista Eduardo Oliveira, da Embrapa Pecuária Sudeste; os professores Luciano Vilela (IFPB) e Sara Dantas Simões (UFPB). Toda a interação será virtual, por meio da ferramenta Google Meet, com um encontro a cada semana.

Mais recomendações da Embrapa para controle de verminose em caprinos e ovinos, estão no portal Paratec. O link de acesso é: https://www.embrapa.br/paratec-controle-integrado-verminoses/vermes/caprinos-ovinos

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *