Aprovada primeira mandioca transgênica do mundo

O Quênia se tornou o primeiro país do mundo a aprovar testes de desempenho nacional de mandioca geneticamente modificada (GM) desenvolvida por silenciamento de genes usando RNA de interferência. A mandioca é um alimento básico muito importante no Quênia, mas a doença da estria marrom (CBSD) pode destruir 98% da safra.

As variedades geneticamente modificadas resistentes ao vírus foram desenvolvidas por uma entidade pública local e vão aumentar a produtividade, apoiando a segurança alimentar e a produção. A safra melhorada, que foi geneticamente modificada para fornecer resistência à doença destrutiva causada pelo vírus da estria marrom da mandioca (CBSD), foi desenvolvida pela Organização de Pesquisa Agrícola e Pecuária do Quênia (KALRO). A mandioca agora se torna o5ª safra transgênica na África aprovado para cultivo aberto após algodão, milho, soja e feijão caupi.

A Autoridade Nacional de Biossegurança do Quênia (NBA) aprovou o pedido de liberação ambiental em 15 de junho, após uma avaliação de segurança abrangente que mostrou que as variedades de mandioca contendo o evento 4046 não apresentam risco para a saúde humana alimento, ou quando cultivado em campo aberto. O processo de revisão incluiu opiniões obtidas do público queniano de acordo com a constituição queniana, que exige a participação do público.

Atualmente não existem variedades de mandioca com resistência natural ao CBSD, diz a NBA. A CBSD é uma doença viral transmitida por mosca-branca e estacas infectadas, causando perdas devastadoras de até 98% para agricultores de mandioca no Quênia.

Da redação com Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *