Mercado do açúcar recupera quase metade do que perdeu

O mercado futuro de açúcar em NY encerrou a sexta-feira com o vencimento julho/2021 cotado a 16.98 centavos de dólar por libra-peso, recuperando quase metade dos 118 pontos que havia perdido na semana anterior. Quem informa isso é Arnaldo Luiz Correa, que é consultor, palestrante, técnico para arbitragens e professor de gestão de risco em commodities agrícolas.

“Mesmo com a reabilitação dos preços, a valorização do real frente ao dólar praticamente extinguiu, em reais por tonelada, qualquer melhora nos preços nesta semana. O dólar fechou a R$ 4,9300 apreciando 3%. O vencimento julho/21 no açúcar apreciou 12 dólares por tonelada, praticamente o mesmo valor em média dos contratos da 22/23 (maio-22 até março-23)”, comenta ele, em sua conta oficial no Linkedin.

“A diretriz que temos prescrito, qual seja, a de fixar preços do açúcar para exportação em reais por tonelada e concomitantemente comprar calls (opções de compra) out-of-the-money (opções fora-do-dinheiro) 200 pontos acima do mercado, tem funcionado. O mercado também parece sentir maior peso no curto prazo (em função de pouca atividade no mercado físico) e maior solidez para o longo prazo. Acreditamos, por exemplo, que os preços futuros do açúcar para 23/24, em especial se o mundo pós-pandemia se recuperar vigorosamente, podem subir 200 pontos (a média do fechamento na sexta-feira foi de 14.75 centavos de dólar por libra-peso)”, completa ele.

Os preços internacionais que, convertidos em reais por tonelada, estão bem acima do custo de produção para o Brasil, mas que podem também acelerar a recuperação de outros concorrentes, como o Tailândia.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *