Empresa de implementos prepara estratégia para faturar R$ 1 bilhão

Umas das frases mais ouvidas desde o início da pandemia tem sido: “o agro não para”. E realmente tem sido assim, o setor segue a todo vapor avançando a cada dia impulsionado pelos produtores e por empresas como a goiana J.Assy, que atua há 23 anos no desenvolvimento e fabricação de tecnologia para o plantio de grãos e, também no fornecimento de sua tecnologia patenteada para montadoras de semeadoras e adubadoras.

A companhia, que avançou mais de 110% só nesse primeiro trimestre de 2021 e tem a expectativa de fechar 2021 próximo a 70% de crescimento, iniciou um estruturado plano de expansão e a meta é chegar em 2030 com o faturamento de R$ 1 bilhão. “Nosso crescimento é exponencial e vai se manter no próximo ano. A partir de 2023 vamos entrar no nosso ritmo normal, que é um avanço aproximado de 50% a.a. Com isso, conseguiremos até 2030 chegar ao objetivo proposto”, diz o diretor executivo da J.Assy, Leonardo Vieira.

Para atingir o objetivo, a empresa iniciou este ano um plano de investimento de R$ 200 milhões para os próximos cinco anos. O aporte inclui: o aumento do quadro de profissionais de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), ampliação da área fabril da Matriz, em Caldas Novas/GO com a construção de um novo galpão de 5 mil m², e a capacitação de todos nossos colaboradores. A empresa também manterá o seu investimento de 30% do faturamento anual para o desenvolvimento de novos produtos e aperfeiçoamento de tecnologias.

“Somente na fábrica, a cada mil metros quadrados, serão investidos R$ 1 milhão, totalizando cerca de R$ 5 milhões na nova estrutura. Vamos aumentar o nosso parque fabril passando de 10 injetoras, para quase 27 injetoras. Por isso, já alinhamos os objetivos para os próximos anos, em questão de faturamento, distribuição de produtos e também a área comercial, de mercado, para que consigamos atender toda essa demanda”, destaca o executivo.

Além da reestruturação da parte fabril, projeta-se mudanças na área administrativa e ampliação da equipe comercial, que praticamente deve dobrar até o ano que vem. “Estamos com aproximadamente 10 vagas abertas, tanto o time de PDM (Promotor de Desenvolvimento de Mercado), assim como os RTVs (Representantes Técnicos de Vendas). Vamos para quase 50 pessoas nesse time. Isso vai influenciar e impactar diretamente no recrutamento e oportunidade para profissionais de Goiás e de outras regiões do País. Projetamos também até o final de 2022, a abertura de 50 novas vagas para a matriz, principalmente para a área Industrial”, diz.

Crescimento orgânico sustentável

No cenário internacional, a J.Assy, busca expansão na América do Sul e do Norte, Europa e Oceania.  Mais especificamente nos Estados Unidos e Canadá, o crescimento tem sido orgânico, porém de forma exponencial. Este último, com uma janela de oportunidades a partir de tecnologia desenvolvida exclusivamente para o cultivo de canola, cultura em que o país é líder mundial.

Segundo Vieira, nesse primeiro trimestre, houve aumento no número de vendas externas, próximo a 80%, em relação ao mesmo período do ano passado. “Isso mostra que nós ainda temos bastante mercado. Sem falar nas condições da agricultura, que estão bem favoráveis esse ano”, lembra.

Na Argentina a companhia também dobrou a capacidade de atendimento. Entre os equipamentos mais vendidos destaque para o dosador pneumático de sementes Selenium. Este não necessita de regulagem e proporciona melhor espaçamento de sementes, está disponível para as culturas de algodão, feijão, milho, soja e sorgo. O dosador mecânico de sementes Titanium de altíssimo percentual de redução de duplas e falhas na distribuição das sementes também tem se destacado bem como os demais itens e peças de reposição.

A J.Assy também tem ampliado atuação e efetivados pedidos na África e  Europa no geral, mercados que até este ano eram pouco explorados. Por isso todos os seus produtos e tecnologias já nascem enquadrados as normas mundiais de fabricação de componentes, sem uso de metais pesados, entre outros. Assim todo o seu processo produtivo é eficiente e ao mesmo tempo sigue os requisitos de sustentabilidade desde o desenvolvimento dos produtos.

Com essa filosofia, visando sua independência energética e a economia no consumo do recurso, a empresa acaba de investir na compra de 842 placas solares para a fábrica. Juntas, elas já são responsáveis por produzir 50% da demanda da empresa. “Em até 5 anos nossa meta é seguir os investimentos para que consigamos produzir 100% de energia limpa compensando o nosso uso. Essa mudança é fundamental na nossa estratégia de expansão internacional. Alguns países acabam exigindo certos tipos de procedimentos e a J.Assy está migrando para se enquadrar em todas as suas ações para essa parte de sustentabilidade”, finaliza Vieira.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *