Milho cai na B3 e fica bem abaixo dos R$ 100,00

O mercado de milho na B3 registrou queda nos preços novamente, motivados pelo dólar e início de colheita da safrinha, de acordo com informações que foram divulgadas pela TF Agroeconômica. “Assim como no dia de ontem, as negociações da B3 voltaram a apresentar quedas para os principais vencimentos nesta quinta-feira”, comenta.

“O movimento da semana passada, que parecia refletir um último fôlego de bons preços, antes da típica pressão sobre as cotações da safrinha, parece ter fim e, tanto no mercado físico, quanto nas bolsas, o que se vê são baixas expressivas”, completa a consultoria agroeconômica.

De forma semelhante, vê se essas quedas também no mercado internacional, em previsões de chuva que permanecem para o cinturão da safra do Meio-Oeste dos EUA. “Com isto, o vencimento julho/21 da CBOT foi cotado à US$ 6,33 com desvalorização de 40 pontos, o setembro/21 valeu US$ 5,48 com perda de 40 pontos, o dezembro/21 foi negociado por US$ 5,32 com queda de 40 pontos e o março/22 teve valor de US$ 5,39 com baixa de 40 pontos. Na B3, junho encerrado a R$ 82,80 (-5,06%); setembro a R$ 83,05 (-5,30%); novembro a R$ 84,24 (-3,95%) e o vencimento janeiro a R$ 86,44 (-5,12%)”, indica.

Em Chicago, os futuros despencam quando chuva, soja e dólar se combinam. “Um índice do dólar mais alto, chuva no meio-oeste, fortes quedas na soja e dados decepcionantes sobre as vendas líquidas pesaram fortemente sobre os futuros do milho da CBOT nesta quinta-feira, com a maior parte da curva caindo mais de $ 0,30/bu ao longo do dia”, informa.

“Liquidações dos fundos em commodities agrícolas, diante de um conjunto de elementos baixistas também pressionaram as cotações dos três grãos. Perspectivas climáticas favoráveis no cinturão do milho e perspectivas de redução da demanda interna para a produção de etanol. O petróleo em queda e o dólar firme operaram na mesma direção. No fechamento, o contrato de julho havia perdido cerca de $ 0,34/bu para chegar a $ 6,39/bu, com setembro caindo quase $ 0,35/bu para $ 5,54/bu”, conclui.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *