Ministério da Agricultura prevê alta de 11,9% na renda no campo

Os cálculos da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, divulgados nesta segunda-feira, mostram que o Valor Bruto da Produção Agropecuária deve crescer 11,8% neste ano e atingir R$ 1,111 trilhão em 2021. As projeções levam em conta as mais recentes estimativas oficiais de produção agrícola e animal, e os preços médios recebidos pelos produtores de janeiro a maio de 2021.

A previsão para o valor da produção agrícola é de crescimento de 15,8% para R$ 765,35 bilhões. A projeção para a pecuária é de aumento de 3,8% para R$ 345,74 bilhões. De acordo com o coordenador de Avaliação de Políticas e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Garcia Gasques, as duas atividades obtiveram neste ano o mais elevado valor em 32 anos.]

Segundo ele, os produtos que tiveram os maiores acréscimos do VBP foram arroz (5,7%), milho (20,3%), soja (31,9%) e trigo (35,1%). Com crescimento mais modesto, encontram-se cacau e cana de açúcar. Alguns grupos vêm trazendo contribuições negativas ao crescimento da agropecuária, como a batata-inglesa, café, feijão, laranja, tomate, uvas e na pecuária, leite, suínos e ovos. “Isso ocorre, segundo Casques, devido a efeitos de menores preços ou de menores quantidades produzidas.”

Ele observa que apesar de terem existido períodos de seca que afetaram lavouras, como milho e feijão, os preços têm contribuído para reduzir esse impacto. “Esses efeitos foram sentidos, principalmente, no Paraná e em Mato Grosso. O milho foi particularmente prejudicado. A segunda safra, que é a mais importante, teve uma redução em relação a 2020, de 5 milhões de toneladas, e menor produtividade de grãos”

O coordenador explica que o crescimento do VBP pode ser atribuído, como destacado em relatórios anteriores, “ao excepcional desempenho das exportações de soja em grãos e carnes, preços favoráveis e a safra de grãos, que apesar de problemas de falta de chuvas ocorridos, mesmo assim as projeções da Companhia Brasileira de Abastecimento (Conab) e do IBGE são de uma safra expressiva”. Os dados regionais do VBP continuam mostrando a liderança de Mato Grosso com participação de 17,2% no valor, Paraná 13,2%, São Paulo 11,2%, Rio Grande do Sul 10,8%, e Minas Gerais 10%.

VBP MAi 21 (Foto: Divulgação)
 Da redação com a Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *