Por determinação de Bolsonaro, Exército recua e se cala sobre ato de Pazuello

Por 

COMANDANTE EM CHEFE

ALAN SANTOS/PR

O presidente Jair Bolsonaro usou da sua posição de comandante em chefe das Forças Armadas e mediu forças com o alto comando do Exército. Por determinação do Bolsonaro, o Exército foi proibido de tornar pública qualquer decisão sobre o futuro da patente do general Eduardo Pazuello. No final de semana Pazuello participou de ato público no Rio de Janeiro, além de subir no palanque e discursar para a multidão. Como ainda está na ativa das Forças Armadas, violou o Estatuto Militar e o Código Disciplinar do Exército. O general agora poderá pedir a reserva para se livrar de punição disciplinar e já cogita a possibilidade de se candidatar ao Governo do Rio. Há quem aposte que o episódio crie uma nova crise entre o governo federal e as Forças Armadas.

FOGO AMIGO

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE), um dos governistas na CPI da Covid-19, levantou uma questão polêmica nesta terça-feira. Segundo o parlamentar, a comissão deveria discutir sobre Covid e não centrar o foco em quem recomendou ou não o uso de Cloroquina como tratamento. Girão enfatizou que o assunto só ganhou proporção porque o presidente Jair Bolsonaro defendeu o uso do remédio. Ainda assim, o senador disse que não concorda com as posições de Bolsonaro a respeito da Cloroquina, do não uso de máscara e das aglomerações. Certamente, Girão já deve ter levado um puxão de orelha.

ELE OU ELA?

Durante essa pandemia o que teve de homem se passando por mulher para tomar a vacina contra a Covid não é brincadeira. Na lista de irregularidades, um caso chamou a atenção. Pelo menos 17 homens teriam se cadastrado como gestantes para tentar burlar a triagem e conseguir receber as doses. Antes que chegassem à etapa presencial, eles foram barrados a partir da identificação do sistema. Predomina como supostas fraudes a apresentação de atestados falsos de comorbidades para furar a fila e antecipar a vacinação. Dentre as doenças campeãs alegadas estão hipertensão e diabetes. Enfim, só criatividade não basta. Para enganar os profissionais da Saúde é preciso muito mais.

SAIU DO NINHO

Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) ajuizou, no Supremo Tribunal Federal (STF), a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 845, com a pretensão de determinar ao presidente da República que cumpra as medidas do Ministério da Saúde (MS) para enfrentamento da pandemia da Covid-19, principalmente quanto ao uso de máscara e ao distanciamento social, sob pena de multa. A ação, com pedido de medida cautelar, foi distribuída ao ministro Edson Fachin. Parece-me que quanto mais resolvem azucrinar o presidente Bolsonaro, ele aumenta a resistência na queda de braço. Ou ele é do contra mesmo ou é pura estratégia para provocar polêmica.

RECEITA DO BC

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, voltou a associar economia com saúde pública. Ele destacou novamente nesta terça-feira que a vacinação é elemento fundamental e apontou que o Brasil tem estrutura para continuar acelerando o processo de imunização. “Desde o ano passado temos dito que a vacinação é a luz no fim do túnel. Boa parte da reflação ocorre porque o mundo entendeu que haveria vacinação, que a economia voltaria e que os estímulos seriam mais longos”, afirmou, em participação no BTG Pactual Brasil CEO Conference 2021.

CONSUMO

Apesar da crise provocada pela pandemia da Covid-19, o consumidor brasileiro elevou sua confiança em relação tanto ao presente quanto ao futuro. O Índice da Situação Atual cresceu 4,2 pontos e chegou a 68,7 pontos. Já o Índice de Expectativas subiu 3,2 pontos e atingiu 82,4 pontos, segundo pesquisa da Fundação Getúlio Vargas. Houve ligeira melhora da percepção das famílias sobre o momento atual, que atingiu nível mínimo em março, e aumento das perspectivas em relação aos próximos meses. Mas mesmo otimistas com relação a situação econômica do país nos próximos meses, a expectativa das finanças pessoais não avança e o ímpeto para consumo continua muito baixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *