Webinar discute adubação de sistema e manejo de nitrogênio em trigo

A Yara, líder mundial em nutrição de plantas, participa nesta quinta-feira (20), às 19h, da série de webinars “Mais Lucro/HA – Fazendo o cultivo no inverno acontecer” – iniciativa realizada pela Embrapa para fomentar as técnicas de otimização do trigo no inverno e fazer com que o cultivo do grão seja potencializado na agropecuária brasileira. O evento será transmitido ao vivo por meio do canal da Embrapa no Youtube .

Com o tema “Adubação de sistema e manejo de nitrogênio em trigo”, o encontro on-line, que têm como objetivo levar conhecimento técnico aos produtores rurais de todo o Brasil, terá a participação do engenheiro-agrônomo da Yara Brasil, Diego Guterres; do Gerente de Transferência de Tecnologia da Embrapa Trigo, Giovani Faé; e do pesquisador da Embrapa Soja, José Salvador Foloni.

“É uma satisfação participar, ao lado da Embrapa, de mais um evento que irá levar conhecimento para os produtores rurais. O trigo no inverno é uma importante atividade econômica para o produtor rural, e uma alternativa essencial para o mercado interno, especialmente quando olhamos para a sustentabilidade de toda a cadeia agrícola, que depende dos cereais para diversas atividades, entre elas a produção de proteína animal”, afirma Guterres.

Com esse intuito, a Yara firmou parceria com o movimento de “Otimização das Culturas de Inverno”, liderado pelo presidente do Conselho Consultivo da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), ex-ministro da Agricultura, Francisco Turra. O projeto visa incentivar a atuação de produtores e organizações para ampliação do plantio dos grãos de inverno – trigo, cevada e triticale – nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Com base em dados da Farsul (Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul), a área a ser plantada com trigo e outras culturas de inverno em 2021, a partir deste mês de maio, pode crescer de 900 mil hectares para 1,4 milhão de hectares no RS, alavancando o potencial produtivo da região, que faz apenas uma safra de grãos por ano, enquanto outros estados fazem três.

O projeto ainda conta com a participação de diversas entidades, como a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Embrapa Trigo, de Passo Fundo (RS), a Farsul, Faesc, Senar-RS, FecoAgro/RS, Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Asgav, Fundesa, Acav, Acergs, Embrapa Clima Temperado, de Pelotas (RS) e Embrapa Pecuária Sul, de Bagé (RS) e Embrapa Suínos e Aves, de Concórdia (SC).

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *