Puxado pelo agro, transporte de cargas por ferrovias cresceu 30% em março

O volume de cargas do transporte ferroviário aumentou 30,1% em março na comparação com 2020, segundo dados de concessionárias informados à Agência Nacional de Transportes (ANTT). O aumento ocorreu em todas as concessões ferroviárias e em todos os setores analisados.

O balanço do setor produzido pela Associação Nacional dos Transportes Ferroviários (ANTF), que representa as concessionárias ferroviárias brasileiras, com exceção da Ferroeste, também mostrou crescimento nas cargas.

Conforme o estudo, as ferrovias do país transportaram, neste ano, mais de 15% do volume registrado em 2020. Na comparação entre março de 2021 com o mesmo período do ano anterior, o maior crescimento ocorreu no total de toneladas transportadas de granéis agrícolas (+53%), combustíveis (+ 42%) e granéis minerais (+ 24,6%).

Para a ANTT, a alta no preço das commodities tem contribuído para o maior uso das ferrovias, já que elas são uma alternativa de menor custo logístico, sobretudo para longas distâncias. Para a ANTF, no entanto, o que mais pesou foi o fato do país ter entrado no pico da safra agrícola em março, o que demonstra a força das ferrovias para escoar a produção.

Em março, os aumentos mais expressivos, comparados a fevereiro, foram para cargas de farelo de soja (51%), produtos siderúrgicos (14%), combustíveis (9%) e minério de ferro (3,7%). Apenas o transporte do carvão mineral registrou baixa (7%).

O balanço da Associação Nacional de Transportes Ferroviários registra ainda que a produção de transporte de carga geral do país teve alta de 41,2% em março deste ano em relação ao mesmo mês de 2020.

Na avaliação da ANTT, também contribuíram para o bom desempenho do setor de granéis agrícolas as concessões da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), Rumo Malha Norte (RMN), Rumo Malha Paulista (RMP) e Rumo Malha Sul (RMS), bem como à subconcessão da Ferrovia Norte Sul (FNS) no Tramo Norte.

Além disso, a associação destacou o início dos trabalhos da Rumo Malha Central (RMC), licitada em julho de 2019 e cujas operações estavam previstas para começar apenas em julho de 2021. Conforme balanço da ANTF, já no primeiro mês de trabalhos, a RMC alcançou 224.251.896 TKU (tonelada quilômetro útil).

Da redação com o Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *