EUA: Está proibido chamar carne vegetal de “carne”

A tendência para alimentos à base de plantas e aqueles que se parecem com carne, mas não são, está ganhando terreno. O marketing e as gôndolas oferecem cada vez mais esse tipo de produto, que tem visões opostas sobre o consumidor.

Esses alimentos são questionados porque suas embalagens expressam que são carnes, mas à base de plantas. Existem antecedentes em várias partes do planeta, e um deles é o Texas. Os legisladores aprovaram uma lei para que esses alimentos vegetais não possam usar a palavra carne ou boi.

Na Argentina também foi aberto um debate sobre esta situação. Da Sociedade Rural Argentina explicaram que usar o termo carne para outro produto que o imita é falso e confunde o consumidor. “É vender um produto com o nome de outro e isso deve se refletir claramente em uma eventual rotulagem ” , disse Juan José Grigera Naón, hoje presidente do Instituto de Promoção da Carne Argentina.

Além disso, ele argumentou que os proponentes desse produto preferem chamá-lo de carne artificial e não de músculo artificial ou mesmo de proteínas de músculo artificial. Uma discussão semelhante ocorreu no estado do Texas. Os legisladores aprovaram uma lei para que os alimentos de origem vegetal não levem o nome de carne. Nesse sentido, eles explicaram que isso poderia ser considerado um engano do consumidor. O site DallasNews detalhou que a aprovação encerrou com 123-22 votos.

O legislador republicano Buckley explicou a este médium que esta medida é para quem decide comer carne, mas também para quem não o faz. Em detalhes, o projeto aprovado não permite que produtos derivados de insetos, plantas ou culturas celulares , provenientes de células animais in vitro coletadas em laboratório e não de animais abatidos, usem os termos carne.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *