Instituto dos Advogados Brasileiros quer Sérgio Moro na alça de mira

Por 

ALÇA DE MIRA

Pedro França/Agência Senado

O ex-juiz Sérgio Moro está de volta à alça de mira. O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) concluiu que Moro e os integrantes da força-tarefa da Lava Jato devem ser responsabilizados, nos âmbitos administrativo, civil e criminal, por violações ao estado democrático de direito e à ordem constitucional econômica. De acordo com o parecer da Comissão de Direito Constitucional, Sergio Moro e os membros da Lava Jato causaram danos à economia, às empresas e aos trabalhadores do País. Conforme parecer da Comissão de Direito Penal, a operação resultou em graves violações ao processo penal. Os dois pareceres foram aprovados pelo Plenário do IAB na sessão ordinária virtual de quarta-feira (12), conduzida pelo 1º vice-presidente, Sergio Tostes.

DIANTEIRA

Segundo pesquisa do Datafolha, feita com seus leitores, Lula bate Bolsonaro nos dois turnos das eleições de 2022. Em cenário de pesquisa, o ex-presidente bateria o chefe do Executivo por 41% a 23% e, no segundo, com uma distância ainda maior, com 55% a 32%. Ciro Gomes (PDT) também venceria Bolsonaro em um eventual segundo turno, por 48% a 36%. Lula está em vantagem porque concentraria os votos de Ciro Gomes, do apresentador Luciano Huck e do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Já Bolsonaro, nesse cenário, levaria os votos do seu ex-ministro da Justiça, Sergio Moro.

ARMA PARA OPOSIÇÃO

A pesquisa Datafolha, embora represente apenas o universo dos seus leitores, serviu de munição para a oposição atacar o presidente Bolsonaro. O líder da Oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), fez publicação no Twitter sobre a pesquisa. Segundo ele, “a pior aprovação a Bolsonaro desde o início do seu governo é a resposta do povo para uma gestão marcada pela fome, desemprego e milhares de mortes por uma doença para a qual já existe vacina”, escreveu o parlamentar. Pelos números, a aprovação do presidente Jair Bolsonaro recuou seis pontos porcentuais em dois meses, para 24%, a pior marca de seu mandato.

LADRÃO DE 9 DEDOS

Bolsonaro, como sempre tem feito, ignorou e não comentou a pesquisa Datafolha. O presidente, no entanto, chamou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de “ladrão de nove dedos”. A declaração ocorreu durante a entrega de unidades habitacionais em Alagoas.Ele comentava sobre o trabalho do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. “A Caixa, lá atrás, com aquele ladrão de nove dedos, dava prejuízo. Em nosso governo, com a liberdade que você tem, mais que lucro, ela traz benefícios para todos nós do Brasil”. Na ocasião, o ministro do Turismo, Gilson Machado, também criticou o petista afirmando que o presidente não precisar “tomar uma dose de cachaça para ficar no meio do povo”.

PUXOU O CORO

Ainda em Alagoas, o presidente Jair Bolsonaro puxou o corro “Renan vagabundo”. Durante a declaração de alguns ministros, foi entoada a frase “Renan Vagabundo”. Na fala de Marinho, a frase também foi ovacionada e Bolsonaro levantou a mão incitando o coro a continuar. “A voz do povo é a voz de Deus”, seguiu o ministro. Ao discursar, Bolsonaro também chamou o senador de “picareta” e “vagabundo” e mandou um recado, afirmando que só Deus o tira da presidência. “Se Jesus teve um traidor, temos um vagabundo inquirindo pessoas de bem em nosso país”, finalizou.

EVOLUÇÃO POSITIVA

Banco Central apontou uma evolução mais positiva do que a esperada da economia brasileira, mesmo com a intensidade da segunda onda da pandemia gerada pela covid-19. O BC afirma que “os indicadores recentes mostram uma evolução mais positiva do que a esperada e que a incerteza sobre o ritmo de crescimento da economia ainda permanece acima da usual, mas aos poucos deve ir retornando à normalidade. Segundo o banco, o segundo semestre do ano deve mostrar uma retomada robusta da atividade, na medida em que os efeitos da vacinação sejam sentidos de forma mais abrangente. Ufa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *