Dieta balanceada e tempo de preparo são essenciais para retomada das atividades

Com a agenda de vacinação para a Covid-19 em andamento, diversos setores têm se preparado para intensificar suas atividades. As expectativas de retorno dos eventos equestres para o segundo semestre de 2021 são positivas, sendo assim, esse é o momento para competidores de todo o Brasil se tornarem aptos para as disputas. Neste cenário, uma dieta balanceada e um tempo de preparo mínimo de 3 a 6 meses são essenciais para alta performance dos equinos atletas.

Entre os principais nutrientes para a preparação dos cavalos nesse momento, o Gerente de Produto de Equinos da Guabi, Sigismundo Rezende, ressalta inicialmente a base alimentar. “O animal precisa de água, carboidratos, proteína, gordura, minerais, aminoácidos e vitaminas. É como se fosse uma pirâmide, em que se torna necessária a constituição de uma boa estrutura que disponibiliza energia em substituição ao gasto energético dos equinos”, relata Rezende.

Rezende reforça também a relevância de começar a planejar e cuidar do equino no período certo para as competições. “Sabemos que não se prepara um cavalo da noite para o dia, precisamos de tempo para prepará-lo. Isso porque quando você muda a dieta de um animal para que fique de acordo com a competição, o organismo dele leva um período para se adaptar e finalmente começar a absorver nutrientes de uma maneira mais eficiente. Dietas ricas em óleo de soja, por exemplo, levam cerca de quatro semanas de adaptação com a nova dieta para que se tenha uma absorção satisfatória pelo animal desse nutriente”, explica o Gerente de Produto de Equinos da Guabi.

Dose certa 

Para alcançar bons resultados nas competições, Sigismundo reforça a importância de fornecer os nutrientes na medida certa aos animais. Afinal, Por exemplo: alguns minerais têm uma exigência maior em quantidade do que outros minerais isso não quer dizer que são mais ou menos importantes entre eles. “Equilíbrio é importante, pois se houver algum componente a mais do que o outro, isso pode afetar a absorção. Então, precisamos balancear a dieta, para que o animal possa absorvê-lo e transformar isso no que é necessário, seja em trabalho, ganho de peso, crescimento e etc. Além disso, é importantíssimo para o cavalo a diversidade da dieta, pois com essa variação dentro do trato digestivo de microorganismo, possibilita uma digestão muito melhor”, exemplifica.

Sigismundo relata que são diversos os benefícios de uma dieta balanceada são os ganhos zootécnicos, além desse detalhe muito observado pelos criadores é o aspecto da pelagem dos animais. De acordo com o especialista, isso não é apenas um indicativo estético, mas também um reflexo de dentro para fora, que mostra uma qualidade e adequada absorção de nutrientes dos cavalos.

Soluções equilibradas 

Para melhor aproveitamento de todos os nutrientes, na medida certa, as rações devem conter as características ressaltadas pelo profissional. Os ingredientes apontados por Sigismundo podem ser encontrados na Linha Atletas da Guabi Nutrição e Saúde Animal. As soluções são compostas por nutrientes equilibrados, de acordo com cada necessidade do equino: animais adultos em trabalho intenso ou muito intenso e os garanhões. Sem ficar de fora todos os aditivos utilizados nas formulações destacando-se: antioxidantes, adsorventes de micotoxinas, minerais orgânicos, Vitamina C, Ômega 3-DHA, Vitamina E, Selênio Orgânico, Cromo Orgânico e prebióticos e probióticos.

Da redação com o Agrolink

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *