“Sem voto impresso não teremos eleições em 2022” ameaça Bolsonaro

Por 

EMBATES DESNECESSÁRIOS

O embate entre o presidente Jair Bolsonaro e a Suprema Corte da Justiça continua em declarações polêmicas de ambos os lados. Bolsonaro, na quinta à noite, chamou o Brasil de “republiqueta” por realizar eleições por meio eletrônico. Disse ainda que, se o Congresso aprovar voto impresso, esta será a maneira de realização das eleições de 2022, ou “não terá eleição”. O chefe do Executivo atacou ainda o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), que rechaçam por ministros do TSE, que alegam o alto custo da operação e defendem a segurança do sistema eletrônico de votação. Bolsonaro deve ter se esquecido que quem convoca eleição é a Justiça Eleitoral e não o Executivo.

“NÃO ENCHE O SACO”

A frase do título é do presidente Bolsonaro ao falar sobre a CPI do Senado que investiga uso de cloroquina. Os depoimentos dos ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, além do atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga, tem irritado Bolsonaro e parlamentares que fazem parte da base do governo. “O povo toma cloroquina lá no Amazonas e nunca ouvi dizer que o remédio matou alguém”, lembrou bolsonaro sem citar  que o remédio na região é usado para combater a malária com muita eficácia há muitas décadas.

FREITAS VICE

As pérolas expressadas pelo presidente Bolsonaro estão entre os assuntos mais comentados aqui em Brasília. Ele disse nesta sexta-feira não ser “politicamente correto, mas um brasileiro correto”. Não perdeu o fio da meada ao puxar o tom para as eleições de 2022, da qual já disse que não abre mão. Até lançou expectativas sobre um possível vice-candidato a presidente quando voltou a tecer elogios ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Bolsonaro disse que o ministro possui “coração verde e amarelo”. Em outras ocasiões, o presidente já teria manifestado que Tarcísio Freitas era um dos preferidos para compor a chapa de vice no ano que vem. Enfim, um bordão já pegou entre aliados: Freitas vice!

SOB SUSPEITA

O senador e membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid Rogério Carvalho (PT) avaliou que, se o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello não apresentar o exame positivo para covid-19, ele terá utilizado uma “manobra” para não prestar depoimento à comissão, marcado originalmente na quarta-feira (5). O senador, no entanto, lamenta a ausência do ex-ministro pois, em sua visão, não sabe como ele vai conseguir se preparar melhor “porque ninguém vai conseguir mudar a realidade”. Pazuello, é claro, está com as “barbas de molho”.

“TUDO BANDIDO”

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) comentou sobre os 25 mortos na operação policial do Jacarezinho no Rio de Janeiro, incluindo a do policial André Frias, 48 anos. Segundo o general, as vítimas eram todas bandidos. A declaração foi feita a jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto. “Tudo bandido. Entra um policial, em uma operação normal, leva um tiro na cabeça de cima de uma laje. Lamentavelmente, essas quadrilhas do narcotráfico, elas são verdadeiras narcoguerrilhas que têm controle sobre determinadas áreas”, apontou. No placar das reclamações se vê mais lamentos do lado dos ativistas, embora as imagens sejam chocantes.

TÔ NEM AI

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que fará um passeio de moto no domingo, 9, às 9h, com cerca de mil apoiadores. “A gente não vai estar indo para comunidade porque eu acredito que mais de mil motos vão se fazer presentes. Estou muito feliz. Pessoal quer me acompanhar em um passeio. Todo mundo tem o direito de ir e vir”, afirmou Bolsonaro durante a transmissão semanal ao vivo. Conforme disse o presidente, a concentração está prevista para acontecer na Praça da Alvorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *