Pesquisadores recuperam variedade ancestral de trigo

Um grupo de cientistas turcos conseguiram recultivar com sucesso o iza, uma variedade de trigo que data de cerca de 13.000 anos. O mais curioso é que os membros da Universidade Abant Izzet Baysal, na província de Bolu, não necessitavam de sementes para a produção dessa ancestral variedade.

“Usamos um coleóptilo, uma espécie de bainha protetora que cobre o botão de iza, para sua produção”, disse Günce Sahin, do Departamento de Biologia da universidade, à Agência Anadolu (AA).

Sahin disse que o trabalho criou uma oportunidade para cultivar iza sem risco de doenças, já que a planta gera antioxidantes prontamente. A iza é rica em vitaminas B1, B2, B5 e E. Nusret Zencirci, da Universidade Abant Izzet Baysal, disse ter conseguido produzir um trigo saudável e de alta qualidade. A iza “poderia ser usada principalmente para fazer bulgur, mas também para fazer pães e massas”, diz ele.

O trigo é comumente cultivado nas províncias de Bolu e Bilecik, no oeste da Turquia. Os cientistas acreditam que o iza evoluiu de uma subespécie de Triticum monococcum, mais conhecida como trigo Einkorn.

O governo turco lançou o projeto ‘Semente Ancestral’ em 2019, com o qual busca preservar as sementes e plantações indígenas. O programa, patrocinado pela primeira-dama Emine Erdogan, visa coletar e armazenar sementes que não foram modificadas para a agricultura para o “banco de sementes” do próprio país.

Uma dessas “sementes antigas” foi recentemente revelada em Konya, a área central do país no coração da Anatólia, que corre o risco de enfrentar uma seca futura causada por irrigação excessiva. O trigo irrigado ‘Sorgül’ foi plantado em 16 hectares na enorme planície de Konya como um projeto piloto.

Da redação com o AGROLINK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *