MOVIMENTO NOS BASTIDORES: Servidores já se mobilizam para tentar barrar perda salarial e de estabilidade. Confira outras informações na coluna JPM desta segunda-feira(9)

BARRICADAS

Em Brasília, a equipe econômica prepara medidas para conter os gastos com pessoal em uma reforma administrativa. Os servidores públicos federais começam a preparar suas barricadas contra a reforma administrativa. Sem espaço no Orçamento para reajustes salariais no próximo ano, os funcionários vão concentrar os esforços para evitar uma reforma tão “dura” quanto deseja o governo Bolsonaro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

MEDIDAS DURAS

Além de não conceder aumentos para o funcionalismo, a equipe econômica prepara medidas para conter os gastos com pessoal em uma reforma administrativa que pode acabar até mesmo com a estabilidade no serviço público – que impede que os funcionários públicos estatutários sejam demitidos. Salários iniciais mais baixos e uma progressão mais longa na carreira são a espinha dorsal do projeto que deve ser apresentado formalmente ainda neste ano.

DÚVIDAS

As reformas têm aprovação garantida , tendo em vista que possuem maioria na Câmara dos Deputados e no Senado, O receio do ministro Paulo Guedes passa a ser a apresentação dos planos do governo para a Economia.

BOLETIM MÉDICO

O presidente Jair Bolsonaro encontra-se em estado estável, sem dor, afebril e com boa evolução clínico-cirúrgica, após passar por operação no domingo para correção de hérnia, disse a equipe médica responsável pelo procedimento em boletim médico nesta segunda-feira.

Disponível para iOS e Android: Templates – App Microsoft Notícias (for spotlight promo)
CUIDADOS
Bolsonaro, que foi submetido à avaliação médica na manhã desta segunda-feira, iniciará fisioterapia motora, podendo sentar na poltrona e realizar caminhada no corredor, acrescentou o boletim.
EMENDAS

Com o orçamento apertado de 2020 vai obrigar o governo a negociar com deputados e senadores para fechar as contas. As emendas parlamentares passaram a responder por uma parcela maior do dinheiro disponível, já que houve um achatamento nas verbas direcionadas paras despesas com o custeio da máquina pública e investimentos.

ARGUMENTO

O drama da falta de recursos já está sendo avaliado por parlamentares que integram a comissão mista de Orçamento do Congresso. “É uma questão de utilizar recursos muito escassos nas áreas mais delicadas”, disse o deputado Vicentinho Júnior (PL-TO).

CARTEIRADA

A carteira estudantil digital começará a ser emitida em 90 dias e será ofertada nas lojas Google Play e Apple Store. Com o documento, os estudantes vão poder pagar meia-entrada em shows, cinema, teatro e outros eventos culturais. O prazo começa a contar hoje (9), com a publicação da medida provisória (MP) que dispõe sobre o pagamento de meia-entrada no Diário Oficial da União.

DADOS COMPARTILHADOS

O estudante que solicitar a carteira digital terá que consentir com o compartilhamento dos dados cadastrais e pessoais com o Ministério da Educação (MEC) para subsidiar o Sistema Educacional Brasileiro — o novo banco de dados nacional dos alunos, a ser criado e mantido pela pasta.

TEMOR

Com maioria na Câmara dos Deputados e no Senado, as reformas têm aprovação garantida. A dúvida do ministro Paulo Guedes passa a ser a apresentação dos planos do governo para a Economia.

CRÌTICAS

Um programa do canal de televisão francês CNews sobre os bastidores do encontro do G-7, no mês passado em Biarritz, na França, captou uma conversa entre os presidentes do Chile, Sebastián Piñera, da França, Emmanuel Macron e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, na qual o chefe de Estado francês critica duramente o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e conta com o endosso dos outros dois líderes presentes.No sufoco

APOIO
Em “campanha” pelo comando da embaixada brasileira em Washington, nos Estados Unidos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) passou a apoiar um projeto de lei que torna automática a liberação de medicamentos no Brasil já aprovados por autoridades sanitárias estrangeiras, como a americana.
NO PRIVADO

As micro e pequenas empresas respondem por 52 por cento dos empregos com carteira assinada no setor privado. Contagem do Portal do Empreendedor mostra que, no Brasil, existem quase 4 milhões dessas empresas.

BUROCRACIA

Nove entre cada dez pequenos e médios empreendedores concordam: o Brasil tem uma economia cartorial, que se debate pela sobrevivência ante a burocracia emperradora e a voracidade tributária.

NA FILA

Os senadores aguardam o projeto aprovado pela Câmara dos Deputados, que altera várias regras eleitorais. Uma delas autoriza o retorno da propaganda partidária semestral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *