Maior produtora de celulose de MS para produção em suas duas fábricas para manutenção geral

A Suzano, maior produtora de celulose de Mato Grosso do Sul, vai fazer entre os dias 9 de junho e 5 de julho uma parada geral em suas duas fábricas, instaladas em Três Lagoas, na região leste do estado. O objetivo é fazer uma manutenção geral e um ajuste dos equipamentos.

Juntas, as duas plantas têm capacidade de produção de 3,25 milhões de toneladas de celulose por ano. A manutenção, conforme a empresa, será feita de forma sequencial, primeiro na fábrica 1, entre 9 e 19 de junho e na sequência na 2, entre 20 de junho e 5 de julho.

De acordo com a empresa, a parada geral ocorre a cada 15 meses. Durante esse período são realizados uma série de serviços nos equipamentos e instalações visando manter a alta produtividade, elevar o desempenho ambiental e garantir a segurança dos empregados.

Além das inspeções de rotina, uma das principais atividades a ser desempenhada é a inspeção das duas caldeiras de recuperação da empresa, conforme regulamentação do setor.

A parada geral 2019 envolverá cerca de 4.500 ordens de serviço e contará, nos momentos de pico, com 1.300 profissionais temporários de empresas de diferentes segmentos. “Para a realização dessas manutenções é necessária mão de obra altamente especializada em reparos de equipamentos e sistemas de alta tecnologia, complexidade e com grandes dimensões”, informa o gerente executivo de Manutenção da Suzano em Mato Grosso do Sul, Fabrício Stange.

Em razão dessa grande contratação de profissionais para a execução de vários serviços nas unidades, a expectativa da empresa é que a parada geral movimente vários setores da economia de Três Lagoas.

“Nesse período, considerando o número de novos profissionais que estarão em Três Lagoas, setores como hotéis, restaurantes, lavanderias, padarias, supermercados, dentre outros estabelecimentos, devem aquecer com a movimentação na cidade, favorecendo a economia e impulsionando a renda do comércio local”, comenta o gerente executivo e industrial da Suzano em Mato Grosso do Sul, Maurício Miranda.

Celulose tem grande importância para a economia do estado

No primeiro quadrimestre de 2019 a receita de Mato Grosso do Sul com as exportações caiu 5,28%, mas a celulose se manteve como o principal produto do estado vendido no mercado internacional. O produto também registrou um incremento de faturamento de 24,33% em relação ao mesmo período do ano passado, com o resultado financeiro passando de US$ 560,334 milhões para US$ 696,713 milhões.

O estado também se manteve como o principal exportador brasileiro de celulose de fibra curta. No primeiro quadrimestre de 2019, o Brasil exportou 5,145 milhões de toneladas de celulose de fibra curta. Desse total, 28,07%, mais de um quarto, o equivalente a 1,444 milhão de toneladas, foi produzida em Mato Grosso do Sul.

Em receita, entretanto, é ultrapassado pelo Rio Grande do Sul, que com embarque de 1,037 milhão de toneladas, 28,2% menos, faturou US$ 701,204 milhões, 0,65%, a mais que os US$ 696,713 milhões obtidos pelas empresas sul-mato-grossenses.

Além de liderar as vendas no mercado internacional, Mato Grosso do Sul também registrou um crescimento superior a média do país na exportação da celulose de fibra curtam, tanto na receita quanto no volume, na comparação do acumulado de janeiro a abril de 2019 com o mesmo intervalo de tempo de 2018.

O Brasil contabilizou incremento de 10,36% no faturamento, de US$ 2,603 bilhões para US$ 2,873 bilhões, e de 2,54% na quantidade, de 5,017 milhões de toneladas para 5,145 milhões de toneladas.

Já Mato Grosso do Sul registrou aumento de 10,91% no volume embarcado, de 1,302 milhão de toneladas para 1,444 milhão de toneladas e de 24,3% na receita, que aumentou em US$ 136,379 milhões, passando, na mesma comparação, de US$ 560,334 milhões para US$ 696,713 milhões.

O produto foi embarcado pelas empresas do estado neste primeiro quadrimestre do ano para 29 destinos, entre países da Ásia, América do Norte, Europa, América do Sul, Oriente Médio, África e Oceania.

O grande comprador da celulose “Made in MS”, assim como principal parceiro comercial do próprio estado, é a China. O país asiático adquiriu nestes quatro meses de 2019, 841,486 mil toneladas do produto, o equivalente a 58,25% de toda a exportação de Mato Grosso do Sul, o que resultou em um faturamento de US$ 393,772 milhões, 56,51% do total.

A celulose também liderou o ranking de receita com exportações de Mato Grosso do Sul. Sozinha, respondeu no acumulado de janeiro a abril, por 42,65% de todo o faturamento do estado com as vendas internacionais, que chegou a US$ 1,633 bilhão.

Da Redação com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *