DEPOIMENTO DE PALOCCI: Lula acertou propina ao filho em troca de benefícios a montadoras .Confira outras informações na coluna JPM desta quinta-feira(6)

VERBAS INDEVIDAS

As declarações bombásticas do o ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci  tomaram conta do noticiário desta quinta-feira(6). Em depoimento à Justiça Federal no Distrito Federal, ele garantiu que o filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Luiz Cláudio, recebeu recursos de um lobista envolvido na elaboração da Medida Provisória 471/2009, objeto de ação penal no âmbito da Operação Zelotes.Segundo Palocci, o filho de Lula o teria procurado em sua consultoria, em São Paulo, entre o final de 2013 e o início de 2014, para que o ajudasse a obter de empresas ao menos R$ 2 milhões para viabilizar um de seus empreendimentos. Mas o próprio Lula, segundo o ex-ministro, teria lhe informado já ter obtido o dinheiro com o lobista Mauro Marcondes.

 

BRIGA DE EGO

As divergências na equipe de transição do governo Jair Bolsonaro ficaram mais evidentes nesta quarta-feira, 5, quando o general Hamilton Mourão, vice-presidente eleito, expôs o embate entre o grupo de militares da nova administração e o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS). Nos bastidores, há uma disputa pelo comando da coordenação de governo e reclamações sobre a forma como Lorenzoni tem buscado protagonismo

DESGASTE

O desgaste de Lorenzoni também é sentido no Congresso, onde, a portas fechadas, dirigentes de vários partidos dizem que o futuro chefe da Casa Civil não tem jogo de cintura política. Insatisfeitos, integrantes de siglas como PP, PTB, Solidariedade, PRB, PSDB, PSB e até o DEM agem para formar um bloco que dê as cartas do poder na Câmara, a partir de 2019, isolando o PSL de Bolsonaro. O grupo defende a recondução de Rodrigo Maia à presidência da Casa.

MINISTRO OFENDIDO

Foto: STF Imagens

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que só reagiu à crítica de um advogado no avião porque ele ofendeu a Corte. “Eu me senti na obrigação de defender a honra do Supremo”, afirmou Lewandowski “Se fosse ofensa ao meu trabalho, eu poderia até relevar, como já relevei em várias outras ocasiões”, completou ele.Na última terça-feira (4), o magistrado estava num voo da Gol, que viajaria de São Paulo para Brasília, quando ouviu do advogado Cristiano Caiado de Acioli, de 39 anos, que “o Supremo é uma vergonha, viu?”. “Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando eu vejo vocês”, continuou ele, enquanto filmava com o celular.
“Vem cá, você quer ser preso? Chama a Polícia Federal”, respondeu Lewandowski. E o advogado rebateu: “Eu não posso me expressar? Chama a Polícia Federal então”.Como o avião ainda estava em solo, Lewandowski chamou a PF, mas Acioli só foi levado para prestar esclarecimentos depois que o avião desembarcou em Brasília.

APURACÃO

Já o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, tomou as dores de  Lewandowski, e pediu  que a Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Polícia Federal apurem o episódio ocorrido envolvendo o ministro e o advogado Cristiano Caiado de Acioli, em voo que ia de São Paulo para Brasília. Toffoli solicita que sejam “adotadas as providências cabíveis” sobre os fatos, “consistentes em ofensas dirigidas ao STF”.

 

 

PROPINA PROVOCA DEMISSÕES

A Petrobras demitiu por justa causa os funcionários investigados na 57ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada ontem. Segundo a estatal, existem “fortes evidências de envolvimento em irregularidades”.Batizada de Sem Limites, essa etapa da operação investiga o pagamento de pelo menos US$ 31 milhões em propinas a funcionários da Petrobras, entre 2009 e 2014, por grandes empresas do mercado de petróleo e derivados — conhecidas como tradings.
Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, funcionários da estatal receberam propina para alterar valores na compra e venda de petróleo e derivados com empresas estrangeiras.

TEMER LIBERA VERBA

O Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão publicou nesta quinta-feira, 6, no Diário Oficial da União (DOU) a portaria nº 398, com um reforço de R$ 4,8 bilhões em favor dos Ministérios do Trabalho e do Desenvolvimento Social; de transferências a Estados, Distrito Federal e municípios; e de Operações Oficiais de Crédito.O valor decorre de superávit financeiro apurado no balanço patrimonial do exercício de 2017, excesso de arrecadação e anulação de dotações orçamentárias

 

 

SUPERMINISTRO

O superministério da Economia, que será assumido por Paulo Guedes, está perto de ganhar mais uma atribuição, a gestão do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), segundo afirmaram o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, e o futuro ministro da Cidadania, Osmar Terra.O INSS é responsável por avaliar e conceder pedidos não só de aposentadoria, mas de outros benefícios previdenciários, como auxílio-doença e pensão por morte. Hoje é vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Social. Também cabe ao órgão a concessão do benefício assistencial pago a pessoas com deficiência e idosos de baixa renda, o BPC (Benefício de Prestação Continuada)

FRASE DO DIA

“Meu compromisso com o Bolsonaro foi até dia 28, às 19h30. Nós tínhamos um projeto de tirar o Brasil do viés ideológico e nosso compromisso acabou no dia 28. Bolsonaro não tem nenhum compromisso comigo”, afirmou o senador Magno Malta (PR-ES)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *