Cotados para Ministério da Agricultura acompanham Bolsonaro de perto

Jair Bolsonaro (PSL/RJ) foi eleito presidente do Brasil com quase 58 milhões de votos. Em discurso, afirmou que terá uma gestão de respeito à Constituição e formada por pessoas com propósito de transformar o país em uma nação “próspera, livre e grande”.

Ainda não existe confirmação de nome para assumir o Ministério da Agricultura, mas Luis Carlos Heinze (PP), senador eleito pelo Rio Grande do Sul e ex-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), está ainda mais próximo de Bolsonaro. Heinze acompanhou o final da apuração dos votos na casa do candidato neste domingo, dia 28, e apareceu ao lado do novo presidente da República na primeira aparição pública dele após o anúncio oficial do resultado.

Heinze afirmou que o clima era de alegria por ter “dado tudo certo para a eleição de Bolsonaro”, mas desconversou sobre o Ministério. “Estava um furdunço, ninguém falou de ministério”. O senador estava em São Borja-RS na manhã desse domingo, viajou ao Rio de Janeiro e volta ao Rio Grande do Sul na manhã desta segunda-feira, dia 29.

Heinze aparece ao lado de Jair Bolsonaro após resultado da eleição (Foto: G1/Divulgação)

Luiz Antônio Nabhan Garcia, presidente da União Democrática Ruralista (UDR), conselheiro de Bolsonaro para a agricultura durante a campanha, também esteve lá.

No primeiro pronunciamento após a confirmação da vitória, Bolsonaro anunciou que tem três nomes definidos para assumir ministérios (Onyx Lorenzoni para Casa Civil, General Augusto Heleno para a Defesa e Paulo Guedes para a Fazenda) e um quarto quase fechado: Marcos Pontes para Ciência e Tecnologia.

A especulação e a curiosidade aumentam a partir de agora sobre a equipe de Bolsonaro. Heinze é um nome forte do agro e tem apoio para assumir o ministério, mas muitas lideranças preferem que ele cumpra o mandato no Senado, onde o setor ficou desfalcado após a saída de Ana Amélia (PP/RS) e Ronaldo Caiado (DEM/GO).

Outros nomes são cogitados para a pasta, como a atual presidente da FPA, deputada Tereza Cristina (DEM/MS), Valdir Colatto (MDB/SC) e Blairo Maggi (PP/MT).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *