Utilização dos fertilizantes organomineral e convencional precisa de mais estudo no Brasil

Pesquisa conduzida por cientistas australianos (Universidade de Melbourne) e chineses (Academia Chinesa de Ciências) comparou estudos que envolvem a aplicação de esterco bovino na agricultura como adubo em substituição aos fertilizantes convencionais nitrogenados. O estudo concluiu que é possível equiparar a produtividade utilizando o esterco animal em vez do produto comercial.

“Eles observaram que a substituição entre 50% e 75% do fertilizante comercial com esterco bovino em bases de nitrogênio traria vantagens grandes, com aumento de produtividade de 10% a 12%”, conta o pesquisador da Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ) Caio de Teves Inácio. “Esses dados podem impactar nas recomendações de adubação, já que os manuais de adubação não costumam levar em consideração esse uso conjunto. O produtor vai usar o fertilizante convencional com o orgânico, ele não vai escolher um ou outro, ele vai usar os dois. Só o produtor orgânico certificado é que realmente restringe o uso do produto comercial”, completa Caio.

O estudo, chamado How Does Recycling of Livestock Manure in Agroecosystems Affect Crop Productivity, Reactive Nitrogen Losses, and Soil Carbon Balance?, utilizou uma série de artigos ao redor do mundo para chegar aos resultados, curiosamente nenhum texto brasileiro foi usado, “ou porque os textos nacionais não estavam em inglês ou porque não atendiam aos critérios exigidos”, diz Caio.

Com informações do portal Embrapa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *