Embrapa Hortaliças seleciona clones de batata resistentes à murcha bacteriana

Após a avaliação de mais de mil materiais de batata, em dois anos de trabalho, pesquisadores da Embrapa Hortaliças (Brasília – DF) conseguiram identificar 34 clones resistentes à murcha bacteriana e com outras características desejáveis em uma cultivar para indústria e para mesa. Esse resultado será compartilhado em reunião técnica do Programa de Melhoramento de Batata da Embrapa, que ocorre em 24 de outubro, em Holambra (SP), antecedendo o XV Encontro Nacional da Batata, promovida pela Associação Brasilieira de Batata e parceiros, de 25 a 27.

Realizada pelos pesquisadores Carlos Lopes, Agnaldo Carvalho, Paulo Melo e Carlos Ragassi, esse resultado é decorrente do projeto sobre uso sustentável de progenitores silvestres de batata e desenvolvimento de uma coleção básica de pré-melhoramento com características relacionadas às mudanças climáticas. O projeto internacional é liderado pelo Centro Internacional de Batata (CIP – Peru) em parceria com a Embrapa Hortaliças e Clima Temperado (Pelotas – RS) e o Instituto Nacional de Investigação Agrária do Uruguai (INIA).

Entre os objetivos da pesquisa de pré-melhoramento estava o de encontrar clones resistentes à murcha bacteriana, causada pela bactéria Ralstonia solanacearum, que é nativa em solos brasileiros e chega a inviabilizar áreas de cultivo pelos danos que causa. Esse é um dos principais problemas da batata principalmente em condições de altas temperaturas, o que pode se agravar com o aquecimento global.

“A ideia é incorporar genes de resistência à doença e, ao mesmo tempo, reduzir os aspectos negativos de adaptação e de características de qualidade, estas muito frequentes em fontes de resistência advindas de espécies silvestres”, explica Lopes. Os materiais avaliados foram provenientes de cruzamentos realizados no INIA.

Com informações do Portal do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *