Minas Gerais se destaca na produção de trigo

Na safra 2016/17, a produção estadual deve chegar a 300 mil toneladas, cerca de 30% maior frente ao ano anterior. Já para os próximos cinco anos, a expectativa é alcançar 500 mil toneladas.

De acordo com o vice-presidente da Atriemg (Associação dos Triticultores do Estado de Minas Gerais), Eduardo Elias Abrain, a produção de trigo no Estado tem vantagens em relação às demais regiões produtivas, principalmente ao Sul do País. A estimativa da associação é colher entre 280 mil e 300 mil toneladas na safra 2016/17, que foi afetada pela estiagem e rendeu 230 mil toneladas. A colheita do trigo mineiro está em fase final.

“Nossa produção é a primeira a ser colhida no Brasil. Por isso, nosso trigo chega ao mercado durante a entressafra e o produtor consegue melhor renumeração. Outra vantagem é o clima. Nosso inverno é frio e seco, o que contribui para uma menor incidência de pragas e doenças, quando comparado com o Sul do Brasil, onde o inverno é chuvoso”.

O trigo tem se tornado uma opção vantajosa para o produtor no período da safrinha e vem conquistando espaço nos campos mineiros. Nos últimos 10 anos, por exemplo, a produção estadual, que era de 51,3 mil toneladas, deve encerrar 2017 variando entre 280 mil e 300 mil toneladas, um aumento de 484%. Na última década, a área destinada ao trigo cresceu de 11,7 mil hectares para 85 mil hectares, incremento de 629%.

Para o vice-presidente da Atriemg, a tendência é crescimento contínuo. “Nos próximos quatro ou cinco anos, nossa produção deve alcançar 500 mil toneladas. Além do nosso trigo chegar ao mercado antes da safra nacional, a Anvisa reduziu o limite máximo tolerado (LMT) de microtoxinas produzidas por fungos em alimentos e produtos de trigo. A decisão deve afetar algumas regiões produtoras do Sul do País. Como nosso inverno é seco, temos pouca incidência deste problema em Minas, o que pode estimular a demanda pelo nosso produto”.

Com informações do Portal do Agronegócio. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *