Santa Catarina se consolida como quarto maior produtor de leite do país

 

O estado vai na contramão do país e segue sua trajetória de crescimento, chegando a 3,1 bilhões de litros de leite produzidos em 2016. Os números foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e confirmam a posição catarinense no ranking nacional.

Com crescimento de 1,76% de 2015 para 2016, a produção leiteira de Santa Catarina só fica atrás da de Minas Gerais, do Paraná e do Rio Grande do Sul – os maiores produtores nacionais. Até 2015, a quarta posição nesse ranking era ocupada por Goiás, porém, no último ano, o estado diminui em 13,8% a produção e foi superado por Santa Catarina.

A grande bacia leiteira catarinense é a região Oeste, que responde por 76% de todo leite produzido – quase 2,4 bilhões de litros. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, destaca que em Santa Catarina a produção de leite está concentrada nas pequenas propriedades de agricultores familiares e que representa uma importante fonte de renda no meio rural. “O setor leiteiro é um grande destaque de Santa Catarina e vem passando por grandes transformações, com o investimento em pastagens, tecnologias e genética. Ainda temos muitos desafios pela frente, precisamos tornar nosso leite competitivo para exportação”, ressalta.

A produção de leite vem numa crescente em Santa Catarina. Há dez anos, o estado produzia 1,7 bilhão de litros e em 2016 foram 3,1 bilhões de litros – um crescimento de 82%. No mesmo período, a produção brasileira aumentou em 32%. O secretário adjunto Airton Spies explica que o leite é a atividade agropecuária que mais cresce no estado e que tem um grande impacto socioeconômico nos municípios catarinenses. “O setor leiteiro gera e distribui renda ao longo de toda cadeia produtiva, envolvendo 60 mil produtores e milhares de empregos em Santa Catarina. Nosso estado tem excelentes condições de produzir leite de alta qualidade a baixo custo. O grande desafio é nivelar para cima o padrão tecnológico para que todo leite seja de alta qualidade e melhorar a organização logística para conquistar o mercado externo”.

Com informações do Portal do Agronegócio. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *