Cafeicultor produz 212 scs/ha de conilon em Rondônia

Mesmo nas regiões com regime de chuvas regular, os resultados de produtividade têm mostrado que bons projetos de irrigação por gotejamento garantiram aumento na produção se comparado a áreas de sequeiro. Na fazenda do produtor rural, Reginaldo Timpurim, em Rondônia, logo na primeira safra cheia foi possível produzir 212 sacas por hectare, utilizando irrigação inteligente. Na média do estado, porém, dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), revelam rendimento de aproximadamente 20 sacas/ha na safra 2017/18.

A área total do produtor Timpurim é irrigada por gotejamento inteligente da israelense Netafim. O projeto foi implantado na safra 2014/15, acompanhando todo desenvolvimento do cafezal. Além de realizar irrigação através do gotejador Dripnet, toda adubação da fazenda é feita por meio de fertirrigação convencional.

Rondônia possui média de pluviosidade anual de 3000 a 3200mm. O clima predominante é o tropical úmido, com altos índices de chuvas, forte radiação solar durante o ano, temperaturas elevadas e umidade superior a 80% de média anual. Mas, embora essas condições sejam favoráveis ao desenvolvimento do robusta, a diferença de produtividade média nas áreas de sequeiro evidencia a contribuição da irrigação na produção final.

Com informações do Portal do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *