Seguro agrícola: fatores de sustentabilidade para o País

O seguro agrícola é um dos produtos do seguro rural que, além da atividade agrícola, abrange a pecuária, o patrimônio do produtor rural como seus produtos, a comercialização da produção e o risco de morte dos produtores.

Segundo o economista Francisco Galiza, o seguro rural é uma proteção contra as perdas do produtor, resultantes das ações da natureza. “Esse tipo de seguro é focado para o agronegócio, direcionado para grandes e médios agricultores, para regiões economicamente factíveis, sempre baseado em estudos técnicos sobre as condições de solo e de clima”.

A importância do seguro reflete a grandiosidade do Brasil em produção, sustentabilidade e representatividade no PIB. “O país possui uma produção de quase 200 milhões de toneladas, com a cana de açúcar, café, soja e milho como principais produtos, que sustentam uma população rural de seis milhões de famílias. Sem contar com um PIB de agronegócio de quase 30%”, explica Galiza.

O economista explica que, de toda a área agrícola do Brasil, menos que 15% está segurada. “Porém, desde 2006, quando o Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural (PSR) foi criado, o país avança em números positivos, tanto que o número de culturas cobertas passou de 25 para 80. Sendo que em 2006, eram menos de 26 mil agricultores segurados e hoje são 118 mil”.

O Programa de Subvenção do Prêmio do Seguro Rural (PSR) foi desenvolvido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pode ser solicitado por qualquer pessoa física ou jurídica que produza as culturas incluídas no programa, permitindo a complementação com outras subvenções concedidas por estados e municípios.

“O PSR traz uma redução de 30% a 70% do custo do seguro para o produtor rural. Porém é importante ressaltar que existem valores máximos de subvenção em cada caso”, esclarece Galiza.

Com informações do SEGS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *