Setor agropecuário Mato-Grossense deve R$ 1,2 bilhão, diz procuradoria da fazenda

A quantia é acumulada com pendências tributárias não previdenciárias, previdenciárias e com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Os valores informados pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) apontam que 70,55% do total são atribuídos ao setor pecuário, que acumula R$ 859,140 milhões.

O restante – R$ 358,586 milhões – é devido por produtores de soja, milho, algodão e cana-de-açúcar com atuação no Estado. Entre os 154 devedores (pessoa jurídica) do segmento pecuário mato-grossense listados pela PGFN, o maior débito individual atinge R$ 541,770 milhões e envolve pessoa jurídica que deixou de atuar no setor. “O segmento da pecuária de corte não reconhece esse passivo porque a maior parte da dívida é de empresas que já estão fora da atividade”, expõe o consultor técnico da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Amado de Oliveira.

Com atuação na sojicultura há 32 devedores registrados pela Fazenda Nacional, sendo o maior débito de R$ 43,531 milhões. Constam ainda na relação 25 propriedades produtoras de milho, com destaque para o principal inadimplente que acumula R$ 47,413 milhões em dívidas. A Federação da Agricultura e Pecuária (Famato) e a Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) não se posicionaram sobre o assunto.

Informações do Portal do Agronegócio. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *