Comunidade rural de Alegrete recebe sistema ecológico de saneamento

A Programação Rural da Semana Arrozeira de Alegrete, realizada pela Associação dos Arrozeiros do município, foi aberta com a apresentação de uma novidade para a comunidade de Mariano Pinto. A comunidade recebeu a primeira instalação de um sistema de saneamento que utiliza plantas nativas com o objetivo de melhorar a qualidade da água dos rios que cortam estas localidades. O módulo experimental foi disponibilizado na Escola Municipal Homero Alves Pereira, onde foi realizada a programação do primeiro dia de evento.

Conforme a secretária executiva do Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Ibicuí, Mariza Beck, o trabalho foi iniciado na nona edição da Semana Arrozeira, em 2016, quando foi coletada uma amostra da água da comunidade do Angico, próxima à Mariano Pinto. O resultado foi preocupante. A partir da experiência do Centro Ambiental Daterra, de Estância Velha (RS), que fez a consultoria do tratamento de esgoto por meio de jardins filtrantes, foi montado o projeto das localidades rurais de Alegrete.

O sistema é considerado ideal para áreas rurais onde não existe tratamento de esgoto convencional. A proposta é filtrar a água oriunda de fossas sépticas com filtros de raízes de plantas sobre a areia, terra e brita dispostos em camadas alternadas até o refino final feito pelas plantas aquáticas. Segundo Mariza, em países da Europa, como França e Espanha, a metodologia é utilizada em comunidades com até 3 mil pessoas, inclusive também como forma de paisagismo. “São chamados de jardins filtrantes porque além de tratar o esgoto, ainda embeleza o ambiente que ela foi construída”, destaca.

Com informações do Portal do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *