Leite é assunto de Estado, defende pesquisador da Embrapa em Audiência Pública

A importação de leite do Mercosul pelo Brasil, sobretudo da Argentina e do Uruguai, foi debatida numa concorrida Audiência Pública realizada na tarde desta terça-feira, dia 15, pela Comissão de Agricultura, Pecuária Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados. A Embrapa foi representada pelo pesquisador e chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Paulo Martins, que defendeu que o produto deve ser tratado como assunto de Estado. “É assim em toda parte do mundo. Não há nenhum país que trabalhe com livre comércio no que diz respeito ao leite”, esclareceu.

Doutor em Economia, Paulo Martins disse que o leite exige políticas de governo claramente definidas para que seja possível à cadeia produtiva cumprir algumas missões. A primeira delas é oferecer proteína animal barata para a população; a segunda, por questões sanitárias, é fazer com que o consumidor tenha acesso a um leite de qualidade; e a terceira é a de gerar emprego e renda no interior do Brasil.

Analisando os dados do censo realizado pelo IBGE em 2006, Martins mostrou que apenas 62 municípios não produzem leite, excluídos os que não comercializam o produto. “Isto demonstra que se o Brasil tivesse que escolher uma cor teria que ser o branco, pela presença maciça do leite em todos os municípios brasileiros. E acima de tudo tem a questão da interiorização do desenvolvimento que o leite promove. O leite é um vetor da interiorização de emprego e renda”, reforçou.

Com informações da Embrapa.

Um comentário em “Leite é assunto de Estado, defende pesquisador da Embrapa em Audiência Pública

  • domingo, 3 de setembro de 2017 em 20:36
    Permalink

    O leite no Brasil, tem uma média baixa , justamente , porque não é subsidiado, e temos os impostos mais caros do mundo , que incidem na nossa cadeia leiteira , isto é , nos custos todos ,e não temos proteção alguma , no que se refere à prêço. Agora, trazer leite de Uruguai ou de outros países , para concorrer com o nosso aquí, é uma tremenda covardia aos produtores brasileiros, inclusive leite este em pó , que em sua maioria é subsidiado nos países de origem, e não tenham dúvidas, alguém do nosso govêrno, ligado à agricultura ou comércio, esta levando suas vantagens

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *