As empresas campeãs em 11 setores do agronegócio

Conheça empresas do agronegócio que se destacaram em Melhores e Maiores num ano menos brilhante do que o normal para o setor

Mais uma vez, o agronegócio evitou um tombo maior da economia brasileira. Enquanto o produto interno bruto do país caiu 3,6% no ano passado, o PIB do agronegócio — aí incluídas não somente a produção “dentro da porteira” mas também as atividades desenvolvidas fora das fazendas, como a fabricação de insumos e o processamento industrial das matérias-primas fornecidas pelo campo — teve alta de 4,5%.

Mas foi um ano sem o mesmo brilho de outras épocas, em consequência da quebra da safra por problemas climáticos. A safra de milho encolheu 26%, a produção de cana-de-açúcar caiu 3% e a de soja diminuiu 2%.

Com tudo isso, as 400 maiores empresas de agronegócio do Brasil ti­veram uma receita líquida de 220 bilhões de dólares em 2016, um recuo de 2,8% em relação ao ano anterior. Os lucros dessas empresas somaram 3,8 bilhões de dólares, pouco mais que o dobro do valor obtido em 2015 — sinal de que muitas companhias tiveram êxito em seus esforços de cortar os custos.

Com informações da Revista Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *